Medicamentos: Bula Kivexa

Laboratório: Glaxosmithkline Brasil Ltda

O que é Kivexa

Kivexa® contém abacavir e lamivudina, produtos medicamentosos que também existem em separado. Pertencem a um grupo de medicamentos que atuam contra o retrovírus, ou seja, são antirretrovirais. Esses medicamentos, denominados inibidores da transcriptase reversa análogos de nucleosídeos (NRTIs), são usados em combinação com outros agentes antirretrovirais para tratar a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV).

Antes de tomar Kivexa

REAÇÃO DE HIPERSENSIBILIDADE Os pacientes sob tratamento com Kivexa®, que contém abacavir, podem desenvolver reação de hipersensibilidade, ou seja, uma manifestação alérgica grave. É essencial que você leia as informações sobre essa reação, descritas a seguir. Também existe um Cartão de Alerta, incluído na embalagem de Kivexa®, 10 Kivexa® Modelo de texto de bula Paciente para lembrar você e a equipe médica sobre a hipersensibilidade ao abacavir. Esse cartão deve ser removido da embalagem e mantido com você o tempo todo. O texto do cartão é apresentado abaixo. Pode ocorrer de os indivíduos que tomam Kivexa® desenvolverem uma reação de hipersensibilidade que representa risco à vida caso não interrompam o tratamento. ENTRE EM CONTATO COM SEU MÉDICO IMEDIATAMENTE para receber instruções sobre a necessidade ou não de parar de tomar Kivexa® se: - você tiver exantema (manchas na pele); - você tiver um ou mais sintomas de pelo menos DOIS dos seguintes grupos: febre; dificuldade respiratória, dor de garganta ou tosse; náusea, vômito, diarreia ou dor abdominal; cansaço, incômodo forte ou mal-estar geral. Se você parou de usar Kivexa® devido a uma reação de hipersensibilidade, NUNCA MAIS DEVERÁ TOMAR este medicamento nem nenhum outro que contenha abacavir porque, em algumas horas, poderá sofrer redução da pressão arterial, o que talvez ponha sua vida em risco ou até cause morte. Ocasionalmente ocorreram reações de hipersensibilidade com risco de morte quando pacientes que haviam apresentado apenas um dos sintomas que constam no Cartão de Alerta antes de suspender a medicação reiniciaram o uso de abacavir. Em raras ocasiões, relatou-se hipersensibilidade quando pacientes que não tiveram sintomas de hipersensibilidade antes de suspender a medicação reiniciaram o tratamento com abacavir. Se você parou de tomar Kivexa® por qualquer motivo, especialmente devido ao aparecimento de efeitos colaterais ou de outra doença, é importante entrar em contato com seu médico antes de reiniciar o tratamento. Seu médico verificará se algum sintoma que você teve antes de suspender a medicação pode estar relacionado com essa reação de hipersensibilidade. Se considerar a possibilidade de ter havido essa relação, seu médico vai instruir você a não tomar novamente Kivexa® nem nenhum outro medicamento que contenha abacavir. É essencial que você siga essa instrução. Se você tiver sensibilidade a Kivexa®, deverá devolver todos os comprimidos não utilizados para que sejam descartados. A classe de medicamentos de Kivexa® (os NRTIs) pode causar uma afecção chamada acidose láctica (excesso de ácido láctico no sangue), assim como aumento do fígado. Esse efeito colateral raro, porém grave, algumas vezes é fatal. A acidose láctica ocorre com mais frequência em mulheres e em pacientes com doença de fígado. Seu médico vai monitorar regularmente seu tratamento com Kivexa®. Pode ocorrer redistribuição, acúmulo ou perda de gordura corporal em pacientes que recebem terapia antirretroviral combinada. Entre em contato com seu médico se perceber mudanças de gordura em seu corpo. Durante as primeiras semanas de tratamento com agentes anti-HIV, algumas pessoas, em especial aquelas que há algum tempo são HIV-positivas, podem desenvolver reações inflamatórias (como dor, vermelhidão, inchaço, elevação da temperatura corporal) que se assemelham a uma infecção e às vezes são graves. Considera-se que essas reações sejam causadas pela recuperação da capacidade do corpo de combater infecções, antes suprimida pelo HIV. Se você ficar preocupado com qualquer sintoma novo ou alteração de sua saúde depois de iniciar o tratamento contra o HIV, converse com seu médico. Se tiver hepatite B, você não deve parar de tomar Kivexa® sem instruções de seu médico porque pode haver recorrência (recaída) da hepatite. Isso ocorre devido à suspensão repentina da lamivudina. Alguns medicamentos anti-HIV, dentre eles o abacavir, podem aumentar os riscos de ataque cardíaco. Se você tem problemas de coração, fuma ou sofre de alguma doença que aumenta o risco de ataque cardíaco (como hipertensão ou diabetes), avise seu médico. Não pare de tomar o medicamento, a menos que seu médico aconselhe você a fazer isso. Kivexa® ajuda a controlar sua doença, mas não representa a cura da infecção por HIV. Você precisa tomá-lo todos os dias. Não pare de usar o medicamento sem antes conversar com seu médico. Se, porém, você suspeitar de uma reação de hipersensibilidade (ver acima), entre em contato com seu médico imediatamente para receber instruções sobre a necessidade ou não de parar de tomar Kivexa®. Você pode desenvolver outras infecções e outras doenças associadas à infecção por HIV. Portanto, deve manter contato regular com seu médico enquanto estiver em tratamento com Kivexa®. Não ficou demonstrado se o tratamento com Kivexa® reduz o risco de transmissão da infecção por HIV para outras pessoas por contato sexual ou transfusão de sangue. Você deve, portanto, continuar a tomar as precauções apropriadas para evitar a transmissão. 11 Kivexa® Modelo de texto de bula Paciente Uso na gravidez Se você está grávida ou planeja engravidar, deve informar seu médico antes de tomar qualquer medicamento. A segurança do uso de Kivexa® na gravidez não foi estabelecida. Seu médico decidirá se você deve continuar o tratamento com Kivexa® caso esteja grávida. Observaram-se, nas crianças pequenas e nos lactentes expostos a esse tipo de medicamento (o NRTI) durante a gravidez ou o trabalho de parto, pequenos aumentos temporários das concentrações de uma substância chamada lactato, no sangue. Além disso, há relatos raros de efeitos sobre o sistema nervoso, como retardo de desenvolvimento e convulsões. Em geral, nas crianças cujas mães tomaram NRTIs durante a gravidez, o benefício da redução da probabilidade de infecção por HIV possivelmente é maior que o risco de sofrer efeitos colaterais. Lactação Os especialistas em saúde recomendam que, sempre que possível, as mulheres infectadas por HIV não amamentem seus filhos, de modo a evitar a transmissão desse vírus. Em situações onde o uso de fórmulas infantis não é viável e a amamentação durante o tratamento antirretroviral for considerada, seu médico deve seguir os guias locais para amamentação e tratamento. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Efeitos sobre a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas Não foram realizados estudos para investigar os efeitos de Kivexa® sobre a capacidade de dirigir veículos ou operar máquinas. Contudo, você deve considerar seu estado de saúde e os possíveis efeitos colaterais de Kivexa® antes de dirigir veículos ou operar máquinas. Interações medicamentosas É importante informar seu médico ou farmacêutico sobre todos os medicamentos que você está tomando ou tomou recentemente, inclusive os que comprou sem receita médica. O abacavir e a lamivudina contidos em Kivexa® podem interagir com outros medicamentos. Kivexa® não deve, por exemplo, ser tomado com zalcitabina ou entricitabina. Se você está em tratamento com metadona, seu médico talvez precise ajustar a dose desse medicamento porque o abacavir aumenta a velocidade com que a metadona sai de seu corpo. Não é provável, porém, que isso afete a maioria dos usuários de metadona. Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Como tomar Kivexa

12 Kivexa® Modelo de texto de bula Paciente Modo de uso Tome Kivexa® exatamente como seu médico instruiu e tente não pular nenhuma dose. Tome o comprimido inteiro com água. Kivexa® pode ser ingerido com ou sem alimentos. Posologia O tratamento deve ser iniciado por um médico experiente no manejo da infecção por HIV. A dose usual para adultos e crianças a partir dos 12 anos de idade é de um comprimido uma vez por dia. Kivexa® não deve ser administrado a adultos nem a crianças com peso inferior a 40 kg porque é um comprimido de dose fixa que não pode ser reduzida. Kivexa® é um comprimido de dose fixa e não deve ser prescrito para pacientes que precisam de ajustes de dosagem, como os que apresentam problemas de rins ou fígado. As preparações separadas de abacavir ou lamivudina devem ser administradas nos casos em que se indicar a suspensão ou o ajuste de dose, e o médico deve consultar as informações específicas de cada um desses produtos medicamentosos. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

Possíveis reações adversas Kivexa

Como todos os medicamentos, Kivexa® pode ter efeitos colaterais. No tratamento da infecção por HIV, nem sempre é possível dizer se alguns dos efeitos indesejáveis são causados por Kivexa®, por outros medicamentos que você tome ao mesmo tempo ou pela própria infecção por HIV. Por esse motivo, é muito importante informar seu médico sobre qualquer alteração ocorrida em sua saúde. Houve um relato de reação de hipersensibilidade (manifestação alérgica grave) em cerca de 5 em cada 100 pacientes tratados com abacavir. Isso está descrito nesta bula, no item O Que Devo Saber Antes de Usar Este Medicamento? É importante que você leia e compreenda as informações sobre essa reação grave. Como Kivexa® contém abacavir e lamivudina, os relatos de efeitos colaterais de cada um deles foram combinados. Reações muito comuns (ocorrem em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): náusea, vômitos, diarreia, dor na parte superior do abdome, cefaleia, febre, letargia (sonolência), cansaço, perda de apetite, perda de cabelo, dor articular e muscular e hipersensibilidade a abacavir e erupções cutâneas (sem nenhuma outra doença). Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): aumento das enzimas produzidas pelo fígado, anemia (baixa contagem de glóbulos vermelhos), neutropenia (baixa contagem de glóbulos brancos) e redução do número de plaquetas (células sanguíneas importantes para a coagulação do sangue). Se a produção de glóbulos vermelhos se reduzir, você poderá ter sintomas de cansaço ou dificuldade respiratória. A redução de glóbulos brancos pode aumentar a propensão a infecções. Se houver contagem baixa de plaquetas, você vai apresentar hematomas com maior frequência. Reações raras (ocorrem entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento): ruptura de fibras musculares, aumento de uma enzima chamada amilase e inflamação do pâncreas (pancreatite). Reações muito raras (ocorrem em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento): reações cutâneas agudas e anemia grave. 13 Kivexa® Modelo de texto de bula Paciente Pode ocorrer um problema chamado acidose láctica, que causa acúmulo de ácido láctico no sangue (ver informações no item O Que Devo Saber Antes de Usar Este Medicamento?). Houve relatos de mudança de distribuição de gordura em associação com o uso de medicamentos antirretrovirais. Essas alterações podem abranger perda de gordura nas pernas, nos braços e na face, aumento de gordura no abdome (barriga) e em outros órgãos internos, aumento da mama e acúmulo de massas de gordura na parte posterior do pescoço (corcova de búfalo). Houve também relatos de mudança de quantidade de substâncias gordurosas e de glicose no sangue. Informe sempre seu médico ou farmacêutico sobre qualquer novo sintoma, mesmo que não seja mencionado nesta bula. Informe seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico sobre o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através de seu serviço de atendimento. 9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA GRANDE QUANTIDADE DESTE MEDICAMENTO DE UMA VEZ SÓ? Se você acidentalmente tomou medicamento demais, deve informar seu médico ou farmacêutico ou entrar em contato com o setor de emergência do hospital mais próximo para obter instruções. Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento se possível. Ligue para 0800 722 6001 se precisar de mais orientações. III) DIZERES LEGAIS MS: 1.0107.0261 Farm. Resp.: Edinilson da Silva Oliveira CRF-RJ Nº 18875 Fabricado por: Glaxo Operations UK Limited. Priory Street, Ware, Hertfordshire SG12 0DJ, Inglaterra Embalado por: Glaxo Operations UK Limited Priory Street, Ware, Hertfordshire, SG12 0DJ, Inglaterra ou Glaxo Wellcome, S.A. Avda. de Extremadura, 3. 09400 - Aranda de Duero (Burgos) - Espanha Registrado e importado por: GlaxoSmithKline Brasil Ltda. Estrada dos Bandeirantes, 8464, Rio de Janeiro, RJ CNPJ: 33.247.743/0001-10

Conservação Kivexa

Cuidados de armazenamento Mantenha o produto na embalagem original e em temperatura ambiente (entre 15ºC e 30ºC). Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original. Aspectos físicos/características organolépticas Comprimido revestido de cor laranja, em forma de cápsula modificada, que pode estar gravado em uma das faces, enquanto a outra se apresenta lisa. Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo. Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.
Recomienda
Você tem dúvidas sobre saúde?

200 / 200

O número mínimo de caracteres para publicar são 15

Lembre-se
  • Seja breve e claro
  • Sua pergunta será anônima.
  • Em caso de urgência entre em contato diretamente com seu médico.