Medicamentos: Bula Perindopril erbumina

Laboratório: Ranbaxy Farmacêutica Ltda

O que é Perindopril erbumina

O perindopril erbumina 4 mg é indicado no tratamento da hipertensão arterial, no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva, na prevenção da recorrência do acidente vascular cerebral em associação com a indapamida, em pacientes com doença cerebrovascular e na redução do risco de eventos cardiovasculares em pacientes portadores de doença arterial coronariana estável.

Antes de tomar Perindopril erbumina

ADVERTÊNCIAS Você deve procurar o seu médico na ocorrência das seguintes situações: - aparecimento de tosse seca; - aparecimento de reações alérgicas, edema (inchaço) da face, dos lábios, língua, glote e/ou laringe; - aparecimento de reação alérgica nos pacientes que fazem hemodiálise: comunique sempre ao seu médico se você necessitar de uma hemodiálise; - tratamento de dessensibilização utilizando veneno de abelha. PRECAUÇÕES Você deve informar seu médico nos casos de: - alterações do equilíbrio eletrolítico, diabetes, hipotensão ou utilização de um regime estritamente sem sal; - insuficiência renal ou cardíaca, aterosclerose (obstrução das artérias), estenose (obstrução) da artéria renal; - variações nos parâmetros sanguíneos como anemia, neutropenia, agranulocitose, depressão da medula óssea. Idosos: A função renal e os níveis sanguíneos de potássio devem ser determinados antes de se iniciar o tratamento. A dose inicial deve ser ajustada dependendo da resposta da pressão arterial, para se evitar uma queda brusca da pressão arterial. Efeitos na capacidade de condução de veículos e operação de máquinas: O perindopril erbumina 4 mg pode provocar vertigens e hipotensão ortostática (redução excessiva da pressão arterial), por isso, deve ser utilizado com cautela por motoristas e operadores de máquinas. Gravidez: O uso de perindopril erbumina 4 mg é contraindicado durante a gravidez. Lactação: Não existem dados a respeito da passagem para o leite materno, logo, o perindopril erbumina 4 mg é contraindicado para mulheres que estão amamentando. De um modo geral, durante a gravidez e amamentação, você deve sempre consultar seu médico antes de utilizar qualquer medicamento. INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Para evitar eventuais interações entre vários medicamentos, você deve informar seu médico se está fazendo uso de qualquer outro medicamento, principalmente os medicamentos diuréticos que aumentam a quantidade de potássio no sangue, os sais de potássio, o lítio e a estramustina. As principais interações são: Com diuréticos poupadores de potássio (amilorida, canrenoato de potássio, espironolactona, triantereno, isolado ou em associação) e sais de potássio. Com suplementos de potássio ou diuréticos poupadores de potássio em associação com inibidores da ECA exceto em casos de hipocalemia (baixos níveis de potássio). A adição dos efeitos elevados do potássio pode ocasionar uma doença chamada hipercalemia, principalmente em casos de insuficiência renal, que pode ser fatal. Com lítio: Foram observados níveis sanguíneos aumentados de lítio, que podem atingir níveis tóxicos (redução na excreção renal de lítio). Com estramustina: Risco de aumento nos efeitos indesejáveis como angioedema. Com anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs), tais como o ácido acetilsalicílico (aspirina) em concentrações acima de 3 g por dia. Pode ocorrer insuficiência renal aguda em pacientes de risco (idosos e/ou pacientes desidratados). Pode ocorrer, também, uma redução dos efeitos anti-hipertensivos de perindopril erbumina 4 mg. Com agentes antidiabéticos (insulinas, sulfonilureias): O uso de inibidores da ECA, como por exemplo, o perindopril erbumina 4mg pode levar ao aumento do efeito hipoglicemiante em pacientes diabéticos tratados com insulina ou sulfonilureias. Com baclofeno: Aumento do efeito anti-hipertensivo. Com diuréticos tiazídicos: Pode ocorrer hipotensão arterial brusca e/ou insuficiência renal aguda no início do tratamento com inibidores da ECA, como por exemplo, perindopril erbumina 4 mg. Com amifostina: Aumento do efeito anti-hipertensivo. 2 Modelo de bula -paciente Perindopril erbumina 4 mg Com antidepressivos tricíclicos ou neurolépticos: Aumento do efeito anti-hipertensivo e do risco de hipotensão ortostática (efeito aditivo). Com corticóides (via oral), exceto hidrocortisona quando usada como tratamento substituto na Doença de Addison: Redução do efeito anti-hipertensivo (retenção hidrossódica induzida por corticóides). Alfa-bloqueadores para uso urológico tais como: alfuzosina, prazosina, terazosina, tamsulosina: Aumento do efeito hipotensor e do risco de hipotensão ortostática. Atenção: Este medicamento contém açúcar (lactose), portanto, deve ser usado com cautela em portadores de Diabetes. Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a saúde.

Como tomar Perindopril erbumina

O perindopril erbumina 4 mg não deve ser administrado juntamente com as refeições. O perindopril erbumina 4 mg é administrado sempre em uma dose única diária (1 vez ao dia). HIPERTENSÃO ARTERIAL ESSENCIAL A dosagem usual é de 4 mg por dia em uma tomada única pela manhã. Dependendo da resposta ao tratamento, a dosagem deve ser gradualmente ajustada em intervalos de 3 a 4 semanas até uma dose única máxima de 8 mg por dia. Em idosos, iniciar o tratamento com a menor dosagem (2 mg por dia, pela manhã) e, se necessário, aumentar para 4 mg após 1 mês de tratamento. INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA A dose inicial recomendada é de 2 mg ao dia, durante a primeira semana, elevando-se a seguir para a dose de manutenção de 4 mg ao dia, sempre em tomada única diária, preferencialmente pela manhã. PREVENÇÃO DA RECORRÊNCIA DO ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL (DERRAME) Em pacientes com história de doença cerebrovascular, perindopril erbumina deve ser introduzido em uma dose inicial de 2 mg ao dia, durante duas semanas. Em seguida, a dose deve ser aumentada para 4 mg ao dia, durante outras duas semanas e, então, associado à indapamida. O tratamento deve ser iniciado a qualquer momento após o evento inicial (AVC ou ataque isquêmico transitório) de duas semanas até vários anos. REDUÇÃO DO RISCO DE EVENTOS CARDIOVASCULARES EM PACIENTES PORTADORES DE DOENÇA 3 Modelo de bula -paciente Perindopril erbumina 4 mg ARTERIAL CORONARIANA (DAC) ESTÁVEL Em pacientes com história prévia de DAC, perindopril erbumina deve ser administrado na dose de 8 mg, sempre em uma única tomada, preferencialmente pela manhã. O tratamento deve ser iniciado a qualquer momento após o evento coronário inicial, podendo ser mantido até vários anos. Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Possíveis reações adversas Perindopril erbumina

REAÇÕES ADVERSAS De modo geral, perindopril erbumina 4 mg é bem tolerado. Entretanto, como para todos os outros medicamentos, podem ocorrer algumas reações adversas em determinados pacientes. Reação muito comum (ocorre em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): São encontradas no início do tratamento, quando a pressão arterial ainda está mal controlada, são: cefaleia, distúrbios do humor e/ou do sono, astenia (cansaço, fraqueza,). Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): Alguns pacientes apresentam tosse, comum ao uso de inibidores da ECA. Trata-se de uma tosse seca, irritativa e alta. Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): Os distúrbios digestivos são pouco específicos; foram relatados distúrbios do paladar, vertigens e cãibras. Algumas erupções cutâneas localizadas foram mencionadas. Alguns outros sinais foram relatados sem grande especificidade, por ocasião de associações terapêuticas: distúrbios sexuais e secura da boca. Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento): - angioedema (edema de Quincke); (ver: Advertências). No plano biológico, pode ser observada uma discreta diminuição da hemoglobina que aparece no início do tratamento, pequena elevação da taxa de potássio no sangue, normalmente transitória e aumento moderado da ureia e creatinina no sangue, reversível com a interrupção do tratamento. Pode-se ainda observar: - Hipotensão, postural ou não (ver Precauções de Uso). - Dor gástrica, anorexia, náusea, dor abdominal, disfagia (dificuldade de deglutição). Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe a empresa sobre o aparecimento de reações indesejáveis e problemas com este medicamento, entrando em contato através do Sistema de Atendimento ao Consumidor (SAC). 9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO? O efeito mais provável no caso de superdosagem de perindopril erbumina 4 mg é a hipotensão arterial. Se ocorrer uma hipotensão profunda, ela pode ser revertida colocando o paciente deitado de costas com a cabeça baixa e pernas elevadas. Se o problema persistir, contate imediatamente seu médico. Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. 4 Modelo de bula -paciente Perindopril erbumina 4 mg Em caso de intoxicação, ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder. III) DIZERES LEGAIS Reg. MS.: 1.2352.0206 Farm. Resp.: Adriana M. C. Cardoso CRF - RJ N° 6750 Fabricado por: Ranbaxy Laboratories Limited Paonta Sahib, District Sirmour, Himachal Pradesh -173025, Índia Importado e Registrado por: Ranbaxy Farmacêutica Ltda. Av. Eugênio Borges, 1.060 Arsenal - Rio de Janeiro CNPJ: 73.663.650/0001-90 Indústria Brasileira Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC): 0800 704 7222

Conservação Perindopril erbumina

O perindopril erbumina 4 mg deve ser guardado na sua embalagem original, em temperatura ambiente (entre 15 e 30ºC), protegido da luz e umidade. Nestas condições, este medicamento possui prazo de validade de 24 (vinte e quatro) meses, a partir da data de fabricação. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS E ORGANOLÉPTICAS Os comprimidos de perindopril erbumina 4 mg são brancos, em formato de cápsula, gravados com P5 em um lado e uma linha de quebra funda no outro lado. Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças. Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Para sua segurança, mantenha o medicamento em embalagem original. Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso você observe alguma mudança no aspecto do medicamento que ainda esteja no prazo de validade, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo. Medicamentos não devem ser descartados no lixo domiciliar ou através das águas do esgoto. Informe-se com seu farmacêutico como você pode descartar os medicamentos que você não irá utilizar. Essa medida vai ajudar a proteger o meio ambiente.
Recomienda
Você tem dúvidas sobre saúde?

200 / 200

O número mínimo de caracteres para publicar são 15

Lembre-se
  • Seja breve e claro
  • Sua pergunta será anônima.
  • Em caso de urgência entre em contato diretamente com seu médico.